quinta-feira, 28 de maio de 2009

Cuidado com o EGO

Quantas vezes você, jovem cristão, já caiu em sua vida? Quantos foram os momentos em que você esteve longe de Deus, ou que esteve perto mas sem forças para tão somente estender a mão. São incontáveis! São tantas! Sentimos vergonha por elas. E quando voltamos para perto de Deus, ficamos esperando que nunca mais aconteça. Esperançosos de que nossa felicidade com Deus seja eterna. Mas logo nos afastamos ainda mais uma vez.
Paulo tinha uma palavra para definir a causa disso, e era, por coincidência (ou não), o primeiro pronome pessoal da língua grega: Ego (que hoje chamamos de Eu). Você certamente sabe quem é o grande inimigo de Deus nesta Terra. Mas o segundo é o nosso próprio orgulho. É esse ego que nos afasta de quem tanto nos amou e nos ama. E é esse mesmo ego que nos impede de voltarmos quando nos afastamos.
A boa nova é que as misericórdias de nosso Deus se renovam todos os dias. No passado, Deus moveu um império para salvar a vida de um único homem, Nabucodonosor. Foram tantas tentativas frustradas para alcançar o coração daquele rei, homem forte em seu exterior, mas com um coração carente da companhia de Deus.
Se for necessário mover o mundo para romper as barreiras do nosso orgulho, que tanto nos afastam de Deus, Ele vai fazer isso. Seu amor é algo inexplicável.
Disse uma vez um poeta anônimo, que a vida é um eterno recomeço. Talvez a vida, sim. Mas os recomeços de nossa salvação um dia cessarão. E viveremos um relacionamento pleno com Deus, eternamente.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Escolha fazer o bem!


Chovia forte e já era noite. Percebeu que ela precisava de ajuda. Assim parou e se aproximou. O carro dela cheirava a tinta, de tão novinho. Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, ela ficou preocupada.

Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora. Ele iria aprontar alguma? Ele não parecia seguro, parecia pobre e faminto. Ele pode ver que ela estava com muito medo e disse:

Eu estou aqui para ajudar madame, não se preocupe. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Renato.

Bem, tudo que ela tinha era um pneu furado, mas para uma senhora de idade avançada era ruim o bastante. Renato abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo ele já estava trocando o pneu. Mas ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos. Enquanto apertava as porcas da roda ela abriu a janela e começou a conversar com ele.

Contou que era de São Paulo e que só estava de passagem por ali e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. Renato apenas sorriu enquanto se levantava... Ela perguntou quanto devia. Qualquer quantia teria sido muito pouco para ela. Já tinha imaginado todos as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Renato não tivesse parado e ajudado.

Renato não pensava em dinheiro, aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade e Deus já lhe havia ajudado bastante. Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outro modo. E respondeu:

- Se realmente quiser me pagar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda de que ela precisar. E acrescentou: e lembre-se de mim.

Esperou até que ela saísse com o carro e também se foi. Tinha sido um dia frio e deprimente, mas ele se sentia bem, indo para casa desaparecendo no crepúsculo.

Alguns quilômetros abaixo a senhora parou seu carro num pequeno restaurante. Entrou para comer alguma coisa. Era um restaurante muito simples, e tudo ali era muito estranho para ela. A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, um sorriso que mesmo os pés doendo por um dia inteiro de trabalho não pode apagar. A senhora notou que a garçonete estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixou a tensão e as dores mudarem a sua atitude.

A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco, podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Renato.

Depois que terminou a sua refeição, e enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem reais, a senhora se retirou. Já tinha partido quando a garçonete voltou. A garçonete ainda queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de R$ 100. Existiam lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora escreveu.

Dizia: Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou hoje e da mesma forma estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar por este dinheiro, não deixe este círculo de amor terminar com você, ajude alguém.

Bem, havia mesas para limpar, açucareiros para encher, e pessoas para servir e a garçonete voltou ao trabalho.

Aquela noite, quando foi para casa cansada e deitou-se na cama, seu marido já estava dormindo e ela ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito. Como pôde aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto? Com o bebê que estava para nascer no próximo mês, como estava difícil! Ficou pensando na bênção que havia recebido, deu um grande sorriso, agradeceu a Deus e virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo e sussurrou:

- Tudo ficará bem, eu te amo... Renato!

A vida é assim, um “espelho”. Tudo o que você transmite voltará para você...

(Autor desconhecido)

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Confio em Teu amor


Sabe quando tudo ao nosso redor parece ruir? Quando a notícia esperada não chega, quando a doença bate à nossa porta, o desemprego, a fofoca e tantas outras coisas começam a acontecer diante de nós? Pois é. Nesses momentos de vazio, de luta, de solidão e temor, temos a sensação de que somos na verdade filhos bastardos. Será que tanta dedicação, tanto desejo de ter mais do Senhor, tantas renúncias, tanta busca não tem valido a pena? Cadê as promessas de vitória, de bênçãos prometidas por Ele? Cadê o seu mover sobrenatural? Cadê a sua presença?
Nos últimos dias, tenho pessoalmente passado por situações dificílimas.

São notícias inesperadas, atitudes surpreendentes de pessoas que amamos tanto! Tantas lutas em várias áreas da nossa vida.... Tenho parado por momentos “desesperadores” e perguntado a mim mesmo: Onde foi que eu errei? Analiso, analiso e não obtenho a resposta. Então a mesma pergunta é dirigida a outra pessoa: o Senhor Jesus. Indago muitas vezes com lágrimas nos olhos: Senhor, onde foi que eu caí? No que pequei contra Ti? E para minha alegria, ou talvez tristeza, também não obtenho nenhuma resposta do Pai.

Há alguma saída? Desesperar-se? Buscar a ajuda em alguém? Sair, viajar, “esfriar” a cabeça? Qual será a solução? Qual a receita para enfrentar momentos de tempestades assim? Onde podemos colocar nossa fé quando a tempestade parece que não terá fim?
“Mesmo quando não posso entender/ Minhas lágrimas me impedem de Te ver/ Teus caminhos são mais altos que os meus/ Teus mistérios mais profundos do que eu/ (...) Confio em Teu amor que não mudará / Nem mesmo a morte pode me separar/ Do Teu cuidado e proteção / Mesmo quando não Te vejo, sei que a Tua mão/ Me sustenta.”

A letra dessa canção é uma verdade tremenda em nossos corações! Não há um instante sequer que Ele, o nosso Papai, não esteja no controle de TODAS, sim, TODAS as situações das nossas vidas! Em todos os instantes tristes, sem esperança, sem respostas, podemos confiar no amor do Senhor! Ele que não poupou seu único Filho, mandando-o até a cruz do calvário por amor a nós, sofrendo tanta dor por mim e por você, não nos dará com Ele todas as coisas? (Rm 8. 32) Não há o que temer! Não há do que duvidar! Ele sempre é fiel e cumpre todas as suas palavras! (Jr 1.12).

Essa verdade, não só contida na canção da irmã Ana Paula Valadão, mas também e principalmente em toda Bíblia, a Palavra de Deus, tem me dado forças para prosseguir. Tem me ajudado a cada manhã a olhar para o céu e contemplar os pequenos raios de Sol, mesmo quando eles estão debaixo das densas nuvens de chuva! E ainda mais: depois da tempestade, o Arco-Íris, chamado pelo Senhor de “Meu Arco” (Gn 9.13) é o sinal da bondade e fidelidade do Senhor para mim e você em todos os momentos de “chuva” na nossa vida.

Confie no Senhor! Confie no amor, na bondade e fidelidade de Deus! Acredite que todos os seus dias estão escritos na palma das mãos dele, e que ainda que você se sinta esquecido, abandonado por todos, Ele, o Senhor, o nosso Amado jamais se esquece de nós! (Is 49.15,16)

Deus abençoe,

::Por Renata Lima

Líder do Ministério de Coreografia da Primeira Igreja Batista em Pirajá – Salvador/Bahia

quinta-feira, 21 de maio de 2009


Clique na imagem para ampliar

Basta sua vontade

Maury Paulo Barbosa é um jovem que não possui os dois braços, e isso não fez com que ele deixasse de escrever. Maury escreve com os pés (e para ser sincero a letra dele é bem melhor que a minha). Ele é apenas um exemplo das milhares de pessoas que têm algum tipo de deficiência, mas somente no corpo, pois o espírito delas está mais forte que nunca.

Por outro lado existem os deficientes espirituais. São aquelas pessoas que passando por algum tipo de problema, por menor que seja, se desesperam e querem a morte. Tudo isso se resume em uma coisa: falta de confiança em Deus!

Quando nossos sentimentos, vontades, desejos, enfim, quando nossa vida está nas mãos do Senhor, não devemos ter maiores preocupações. E a vontade dEle é a nossa vontade, e sabemos que a vontade de Deus é sempre boa, perfeita e agradável (mesmo que, às vezes, seja bem diferente do que queríamos na verdade).

Volto a me remeter ao exemplo do jovem rapaz Maury. Ele poderia muito bem ter ficado acomodado com sua deficiência, dependendo totalmente dos outros para tudo que ele fosse fazer, mas seu grau de independência é surpreendente. Ele faz praticamente tudo sozinho. E você que ouve, que fala, que possui mãos, que possui pés e que conhece a Deus? Porque não escuta a palavra do Senhor? Porque não prega o Evangelho? Porque não pega na Bíblia? Porque não anda para pregar a Palavra de Deus?

Tudo isso se resume em uma coisa: Falta de vontade! O Senhor está de braços abertos para nós esperando apenas o momento no qual dedicaremos para Ele toda nossa vida; e, assim, Ele poderá resolver todos os nossos problemas, nossos conflitos, nossas lutas, nossas dificuldades com Seu imenso amor.

Temos que parar de enxergar apenas os problemas e crer que não existe um grande problema na sua vida, pois você confia em um Deus infinito em bondade e poder. Não desvie seu olhar de Jesus Cristo e faça da Sua vontade a sua vontade. Assim você verá que basta a Sua vontade para que tudo aconteça bem.

Breno Amaral

quarta-feira, 20 de maio de 2009


Clique na imagem para ampliar

terça-feira, 19 de maio de 2009

O que tem de errado com a minha roupa?

Algumas pessoas gostam de uma roupinha mais apertada, outras gostam de uma roupa mais curta, outras gostam daquelas mais extravagantes, coloridas. Algumas são bregas, outras são estranhas, outras são ... ... peruas, mas sempre se achando “na moda”!


Quando alguém chama a atenção dessas pessoas que se vestem de forma inadequada (podemos chamar assim), elas logo falam: “Mas o que tem de errado com minha roupa?” “O fato de uma pessoa ir a uma igreja com a coxa a mostra não tem problemas algum!” Alguns garotos e garotas que se vestem de forma no mínimo “diferente” ainda falam: “Deus olha o coração...” E dão aquela risadinha.


Para você não pode haver nada de errado com a roupa realmente, mas e as outras pessoas que estão te vendo? O que elas estão pensando? O que elas estão sentindo quando olham você vestindo uma calça mais colada, usando uma blusa mais decotada, ou que deixa sua barriga de fora? Tudo bem, Deus olha o interior! Mas pense comigo, se você usa uma roupa que deixa seu corpo à mostra, é porque dentro existe algum problema que você quer compensar com sua beleza externa. Acho que não estou de total errado.


Nós temos que nos preocupar com a vida espiritual dos outros também, afinal de contas a Bíblia é clara quando nos adverte que o sangue das pessoas que poderíamos ter trazido para junto de Jesus, ou daquelas que caíram por nossa culpa seria cobrado de nós mesmos. Quando nos vestimos de forma a fazer com que outras pessoas pequem ou se escandalizem, não causamos danos somente em nós, causamos danos espirituais na vida de outros irmãos e irmãs, pois fazemos parte da família de Deus; somos um corpo.


Ao discutir esse assunto com outros jovens tanto do sexo feminino quanto masculino, ouvi muitos comentários em relação a esse meu questionamento, mas o que escutei com maior freqüência foi o seguinte: “A pessoa ‘X’ não é crente? Então ela que não deve olhar!” Talvez essa seja sua idéia no momento em que está lendo. Devemos vigiar para não fazermos outras pessoas caírem na tentação – tentação esta que nós estamos causando quando nos vestimos de formas sensuais. Temos que lembrar que os irmãos e irmãs são evangélicos sim, mas são de carne e ossos e tem desejos e você não quer ser alguém que desperta esse tipo de desejo em alguém, quer? Espero que a resposta tenha sido NÃO!


A beleza principal vem de dentro para fora e não é de fora para dentro que você vai conseguir isso. Não é por acaso que vemos vários casais que podemos dizer são um tanto... incompatíveis aos nossos olhos, mas se completam perfeitamente graças ao amor de Deus e ao Espírito Santo do Senhor que está entre eles. Seja ungido ou ungida, santo ou santa, e, principalmente, mostre em seu exterior o que o mundo mais precisa ver ultimamente... JESUS!


Breno Amaral

segunda-feira, 18 de maio de 2009

É hora de perder a vida

Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á. Mateus 10.39

Pessoas estão se perdendo e perdendo o foco de suas vidas por ter uma definição errônea, do que é “viver”. Viver não é farrear, embebedar, “rodar” por aí sem rumo, chegar às 8 da manhã em casa, fazer o que quiser da vida, ou qualquer outra definição mundana disso.

A Palavra do Senhor conduz a uma meditação muito importante quando nela se lê: “... quem a achar a SUA vida...” Qual o propósito dos Cristãos? O propósito é o de revelar a vida de Cristo em nós. Como isso será feito se a única coisa que é encontrada nas pessoas é o próprio EU?

A Palavra do Senhor é muito mais profunda do que simples versos ou simples interpretações. Nela estão guardados os fundamentos da vida que cada um deveria carregar em seu coração. De que adiantam os anos supostamente “bem vividos” aqui e a eternidade de sofrimento? Será que se pode comparar 70, 80 ou, quem sabe, 90 anos ao infinito?

Mas isso é o que muitas pessoas estão fazendo ao “deixarem para depois” a realidade da salvação. Não teremos alarmes, não teremos aviso prévio da chegada de Jesus; mas temos a certeza de que Ele voltará para nos levar ao céu para vivermos com Ele eternamente. A resposta mais ouvida é: “Sou novo e ainda tenho muitas coisas para viver...” Mas será que realmente terão tempo para viver essas coisas? E quem disse que aceitar Jesus é parar de aproveitar a vida? É ao aceitarmos Jesus que passamos a viver da forma mais pura e agradável!

Existem aqueles que já estão no interior das igrejas, mas ainda não morreram para si mesmos. A vontade dessas pessoas está em cima do muro, está morno, está meio e Jesus está ocupando o segundo lugar na vida delas. E para Jesus não existe segundo lugar, pois além do primeiro, qualquer outra posição é considerada a ultima.

É chegada a hora de morrermos para nossas vontades e para que vivamos a maravilhosa vida que Deus quer nos dar. Vamos abdicar do nosso “Eu” para encontrarmos “JESUS” dentro de nós!

Breno Amaral

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Jovem “Coca-cola”


Pegando uma carona no tema de uma das campanhas publicitárias da “Coca-coca Emoção pra valer”, quero falar sobre motivação.

Existem jovens que são realmente assim: “Emoção pra valer”. Tudo quanto é festinha da igreja, acampamentos, retiros lá estão eles na área. Não perdem o ‘agito’ gospel da galera. É hábito sentar no último banco da igreja e esperar os amigos para que todos sentem juntos. Na hora do mover espiritual, alguns ficam de olhos abertos, observando ou rindo de quem está sentindo a presença de Deus. Outros até ensaiam uns “Glória a Deus!” e “Aleluias!” bem alto. Mas, na verdade, não estão sentindo nada, fingem uma espiritualidade que não existe, são simplesmente “emoção pra valer”.

É importante que o jovem saiba distinguir se ele é somente um crente de momentos, um crente de emoções passageiras e nada mais, ou se ele verdadeiramente tem em seu coração a motivação certa: Jesus.

Jovens de emoções vãs não dão frutos sadios, ao contrário, dão frutos ‘podres’, pois contaminam e, infelizmente, influenciam outros jovens a entrarem na mesma ‘onda’. Estes jovens passam anos na igreja vivendo numa mesmice total. Em certo momento, começam a reclamar dos cultos, das pregações, põem defeito em tudo e em todos, ameaçam o pastor dizendo que vão sair da igreja, mas não sabem observar que suas motivações estão centradas em emoções efêmeras, ou seja, não tiveram uma conversão genuína, e ainda estão enraizados aos prazeres do mundo.

Enquanto jovens que buscam uma vida motivada pela presença de Deus, dão frutos permanentes, não são impulsionados a viverem simplesmente por momentos de emoções ou “ôba, ôba”. Eles querem sempre mais de Deus, e buscam impactar a sua geração.

A Bíblia diz que “a estultícia do homem perverte o seu caminho, e o seu coração se irrita contra o Senhor” (Pr. 19.3.) As palavras do sábio Salomão dizem muito, pois vários jovens são insensatos, desviam-se dos caminhos do Senhor e depois voltam irritados contra Deus, culpando-o de tudo de ruim que acontece com eles.

A essência da vida de um jovem cristão não está somente em “emoções pra valer”, emoções estas que são passageiras e muitas vezes deixam cicatrizes. A essência da vida de um jovem cristão está em viver uma vida abundante em Deus. Uma vida na qual cada momento é vivido intensamente na presença do Pai.

Ana Paula Costa

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A alegria vem de manhã

A vida é engraçada em alguns momentos, triste em outros, dura em mais alguns, amorosa em vários outros, enfim, ela nos leva a vivenciar milhares de diferentes momentos e, assim, experimentamos milhares de novas sensações.


Uma sensação que tem afetado muito o dia-a-dia das pessoas é a tristeza por perdas; perdas em geral. Em certos momentos como, por exemplo, quando perdemos um ente querido, perdemos um emprego desejado, não passamos na prova do vestibular, terminamos um relacionamento, ou outra situação contrária ao nosso desejo ficamos realmente entristecidos.


O ser humano já está sensível em decorrência da competitividade, da falta de amor, da falta de carinho e de afeto que a sociedade impõe hoje. E qualquer perda é um agravante para que essa sensibilidade aflore e algumas pessoas entrem em depressão, ou sejam tomadas por uma tristeza profunda.


Entretanto, existe alguém capaz de sarar nossa alma, de curar nossas feridas e quando estamos caminhando ao lado dele temos o discernimento de sermos mais que vencedores. O nome dele é Jesus!


Por toda a Bíblia podemos encontrar diversas situações e diversas pessoas que sofreram e vivenciaram as piores aflições que um ser humano pode passar, mas sempre houve um livramento. E no livro de Salmos, capítulo 116, versículo 8, você pode ler o seguinte: “Pois livraste a minha alma da morte, os meus olhos das lágrimas, e os meus pés de tropeçar.”


É esse o único Deus capaz de trazer à existência as coisas inexistentes, só ele é capaz de transformar uma vida e fazer essa pessoa mais do que vencedora. Por isso, as pessoas precisam parar de viver a dar lugar apenas aos problemas. Todos precisam ter uma coisa chamada confiança. Confiar é, segundo o Dicionário Aurélio, ter fé! E a fé é, ainda segundo o Aurélio, uma adesão pessoal a Deus, seus desígnios e suas manifestações.


Então, pelo conhecimento de que a fé é o que nos move aos lugares mais altos, podemos transformar qualquer perda em uma conquista; qualquer tristeza em alegria; qualquer aparente derrota em uma grande vitória, desde que queiramos realmente que isso aconteça e depositemos nossa confiança em JESUS Cristo.


E como está escrito: “Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas eu vos tornarei a ver, e alegrar-se-á o vosso coração, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará.” (João 16.22.)


Creia nessa verdade e seja feliz ao lado de Jesus!


Breno Amaral

quarta-feira, 13 de maio de 2009

"Sou jovem e bonito, tenho que aproveitar"

O Senhor voltará isso é um fato, porém a hora certa da volta do Pai ninguém sabe ainda. É por isso que devemos estar sempre atentos para que nenhum dos filhos do Senhor venha se perder por causa de pensamentos tão pequenos como “o tempo”.

Os jovens dizem ter muito tempo ainda, mas o tempo de Deus não é o mesmo tempo dos humanos. “Deus escreve certo por linhas tortas” ou “Deus tarda mais não falha”, são as maiores mentiras de Satanás, mas são frases comuns na boca de muita gente. Deus não escreve em linhas tortas, ele é bem direto e justo; ele nunca tarde nem falha. Portanto não fique esperando que Deus venha até você e fale: “Me aceite por favor”, pois na verdade quem tem que falar isso somos eu e você.

Somos totalmente dependentes do Senhor, sem ele não podemos fazer nada e não podemos alcançar coisa alguma na vida. É por isso que tantos jovens estão perdidos no mundo, sem direção, sem motivação para seus futuros. Tentam preencher o vazio que existe em suas almas com drogas, noitadas, bebidas, prostituição, etc., sendo que na verdade o que falta a eles é o amor de Jesus em suas vidas.

O tempo vai passando e a vida deles vai afundando cada vez mais, sem que percebam a importância da vida com Deus, seus corpos vão sendo consumidos pelas armadilhas do diabo. Olhos devem ser abertos, mas não os olhos do corpo e sim os olhos do espírito que parecem estar obstruídos por uma membrana feita da maldade de Satanás.

A palavra do Senhor deve ser desvendada por esses jovens. O amor do Senhor deve ser a arma usada para conquistá-los e para mostrar a eles o quão importantes eles são para Deus. O problema está na abordagem que muitas vezes é feita em relação a esses jovens, querendo apenas mostrar seus erros, suas falhas, seus problemas sem demonstrar o amor que pode mudar a face de todas essas situações.

O que deve ser feito é uma reformulação na forma com a qual as pessoas enxergam o outro, ou os chamados “garotos e garotas problema”. Vendo cada um deles como “garotos e garotas solução”, pois eles vão levar a palavra do Senhor ao mundo tudo.

Breno Amaral

terça-feira, 12 de maio de 2009

Onda


Mas, ser adorador tem um significado próximo de paixão. De adorar porque você depende do amor do seu Deus, porque sem esse amor você acaba. Você precisa desse amor divino como direção para sua vida, como modo de vida. Porque se você não tiver o amor Dele, nenhum outro amor te interessa.

Compreende?

É você ter convicção do porquê está adorando. Porque ir a um evento ou subir em um púlpito em um congresso, culto e outros “genéricos”, e ficar gritando que Ele é Santo, que você tem sede Dele, que tem fome de Sua Santa presença é fácil. O difícil é quando você sai dali e sua vida torna a rotina normal. Porque afinal de contas, adorar faz parte de sua rotina ou você é um adorador profissional de eventos? Freqüenta todos, mas não vive nenhum!

Eu nunca fui surfista, não sei nem subir numa prancha, no entanto, quando tentei subir passei vergonha. Porque eu não vivia aquilo. Mas se você me perguntar sobre guitarra eu vou te responder numa boa, porque eu vivo isso.

Da mesma forma é minha vida como adorador. Se minha esposa não me vir adorando em minha casa durante a semana, e não somente nos dias em que subimos no púlpito com nossos instrumentos em punho, como ela vai poder dizer que ela se casou com um adorador?

Eu falei da minha esposa, agora imagina Jesus, vendo-me em um evento gritando, chorando, pulando e do Seu trono de glória comentar: Ué? Mas porque ele não fez isso durante essa semana toda em que ele não me disse nem um oi? Bem, eu espero que dessa vez ele esteja se sentindo tocado por meu Santo Espírito, e que não seja como das outras vezes em que ele pulou, chorou, gritou, falou pra todo mundo que tem sede de Mim e eu mesmo quase nunca ouço a voz dele!

Entende o que eu quero dizer?

A Palavra de Deus, diz que o Senhor busca aqueles que O adoram em espírito e verdade (Jo. 4.24). Veja bem, em verdade, é o que está escrito.

Como você pode se dizer adorador se você não adora de verdade? Você adora a Deus e não para mostrar aos outros. Você não precisa dizer que é adorador simplesmente para “entrar na onda”, você não vai lucrar nada com isso. O risco que você corre é de passar vergonha diante de Deus, e principalmente, se alguém o vir vivendo uma vida suja que não coincide com a vida de um adorador. Sabe porquê? Porque vida de adorador é vida de renúncia. Renúncia de carne, de mentirinha, de sujeirinha para que o Senhor encontre a noiva pura e limpa, que diga com orgulho, como em Cantares de Salomão: “Eu sou do meu Amado e meu Amado é meu!”.

Então, antes do próximo evento que você for, ou da próxima vez em que subir ao púlpito para falar de adorar, faça aquela auto-análise que todo pastor ama lembrar em dia de santa ceia, descrita em I Cor. 11.27-32. Examine-se.

O Senhor conhece os Dele (Jo. 10.14), e sabe quem é e quem não é. Portanto, se até agora você só fingiu ser adorador, adote esse estilo de vida. Eu garanto que você vai amar encher a boca para dizer que é realmente um adorador. Pode ter certeza, quem lucra é você e o Senhor se agrada.

César Ricky Mendes
Ministério Arca

segunda-feira, 11 de maio de 2009


Clique na imagem para ampliar

O Jovem e a Igreja

Este texto aponta um pouco do ‘ser jovem’, suas características, numa visão de desenvolvimento constante. Fala também da importância da instituição igreja neste momento de vida e sua influência positiva e marcante refletida no amanhã do jovem.

Ao pensarmos na palavra jovem, muitas são as características que nos vem à cabeça. Podemos falar em curiosidade, energia, humor inconstante, a certeza de um futuro longo pela frente, ou mesmo uma busca de independência e certa dose de onipotência. Na verdade é o sentir intensamente, mas principalmente o experienciar, o experimentar sensações, situações, relações, emoções. Porém não mais com aquela pureza e desprendimento da infância; agora com mais complicações, responsabilidades, deveres e até mesmo certa preocupação com o futuro – incerto.

É uma fase da vida em que é necessário apoio, pois esse ‘jovem’ muitas vezes está saindo da adolescência ou vivendo esse período, e num mundo tão repleto de informações e determinações comportamentais, que nem sempre são positivas, é preciso haver um ambiente adequado em que se possa estar e compartilhar.

O jovem hoje busca algo mais que o possa tornar um adulto saudável emocional, física e espiritualmente. Pensando nesse crescimento pessoal, é possível destacar alguns núcleos de aquisição de conhecimento e comportamento como a escola, o trabalho, a família, a igreja etc...

A igreja é sem dúvida um núcleo diferenciado, podendo ter sentidos variados para cada indivíduo. Pode ser vista como local de encontros, uma espécie de clube social, um lugar para ir e sentir-se melhor sem tantas culpas, ou ainda um local para exibir e usar habilidades por auto-satisfação.

Em meio a estas possibilidades e tantas outras há, porém um significado primordial e genuíno. É na igreja, a casa de Deus, que o jovem vai buscar forças para vencer o mundo, busca a Palavra Sagrada para se enriquecer da graça e paz do Senhor. Encontra ali amigos leais com os quais pode dividir seus momentos bons e ruins, assim como o conforto e o consolo que só Cristo dá.

Num mundo tão difícil de lidar, com tantas perdas, a igreja de fato vem ocupar um espaço importante no contexto social. É pena ver tantas igrejas transformadas em clubes e recantos de bate papo, necessários para o desenvolvimento de qualquer indivíduo, mas pouco suficientes no sentido de oferecer suporte a esses jovens, perdendo desta maneira sua real função.

A partir de todos estes aspectos, percebemos então que o jovem freqüentador de igreja pode ser uma rica fonte de transformações positivas neste mundo de caos.

Vivendo em comunidade, dividindo dificuldades, fazendo amizades sinceras e recebendo o mais essencial alimento, o espiritual, certamente é possível ver não apenas um jovem como também um adulto mais feliz. Pois quando o desenrolar da juventude acontece na igreja a conseqüência é um adulto mais seguro, maduro e pleno, capaz de adaptar-se melhor as dificuldades e perdas da vida. E isso no mundo em que vivemos conta muito.

Márcia Dittz Sousa Lima
Psicóloga

quinta-feira, 7 de maio de 2009


Clique na imagem para ampliar

Quem sou eu? - PG

video

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Convertido ou convencido?


De repente você chega e, assim como de costume, faz questão de assentar-se no último banco da igreja. Cruza os braços e espera o início do culto. Enquanto isso você observa as pessoas entrando e saindo do templo. Com um vago sorriso cumprimenta alguns irmãos da igreja. O culto começa e lá está você de cara meio amarrada e achando tudo sem sentido, uma mesmice total. A sua indiferença permanece durante todo o culto. Isso já acontece há alguns meses. Você não percebe, mas virou apenas mais um freqüentador de igreja.

Essa é uma cena que se repete insistentemente nas igrejas. E não é difícil detectá-la. Basta olhar para a direita ou para a esquerda e perceber sempre as mesmas pessoas conversando durante a pregação ou que se levantam com facilidade para tomar água ou irem ao banheiro, quando na verdade estão apenas passando o tempo. Existe uma grande diferença entre ser um jovem convertido ou ser só “convencido”, isto é, acha que é, mas não é. É apenas um freqüentador na igreja.

A conversão provoca mudança de atitude, nos faz ser íntimos de Deus. E é a partir desse relacionamento de intimidade é que passamos a perceber a vontade do Pai. Isso implica saber que Deus não deseja que você vire um “crente de banco”, aquele que vai à igreja por ir ou porque os pais mandam ou, ainda, porque está interessado naquele(a) menino(a). É interessante como o ser humano se acomoda fácil. Digo isso no sentido de que é muito mais vantajoso para alguns jovens ficar no banco da igreja apenas como um espectador, do que assumir os compromissos da conversão. Acabar logo o culto para ficar conversando com os amigos, por exemplo, é bem mais cômodo para alguns do que está no templo aconselhando ou orando por um(a) irmão(a) que precisa de ajuda. Ficar em casa curtindo um filme é bem melhor do que sair para visitar jovens drogados em meio a um calor rachando ou uma chuva daquelas.

Realmente a “porta larga” seduz muito mais que “a estreita”. Mas é exatamente na largura de muitas portas que vários jovens se perdem e caem no mundo, algumas vezes, sem volta. Que a igreja não seja somente um programa a mais para preencher as suas noites. Não queira ser um freqüentador que fique olhando o que Deus está fazendo pelos outros, mas usufrua dos benefícios da conversão, tomando posse do que Ele pode e quer fazer especificamente por você, pois a conversão é pessoal e vem acompanhada de uma boa dose de arrependimento.

“Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a Palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.” (I Jo 2.14b.)

Ana Paula Costa

Clique na imagem para ampliar

Controle-se!

A juventude tende a atender aos impulsos de maneira impensada, mas é preciso se controlar...


O mundo tem ofertas mil para oferecer aos jovens e aos velhos, porém o público jovem é o mais focado. Boates, barzinhos, festinhas, turmas, grupos, “galerinhas”, amigos, amigas, rolos, ficantes e por aí vai.


Infelizmente, muitos têm cedido aos desígnios errôneos do coração. A grande maioria dos “influenciáveis” pelas armadilhas que o diabo tem plantado no mundo são os jovens que estão achando praticamente tudo normal e ainda encontram na Bíblia, possíveis explicações para seus erros e suas escolhas.


As pregações mais “linha-dura” sobre céu e inferno têm deixado a desejar em muitos templos das várias denominações, visto que a pregação da vida abundante e maravilhosa, na qual Deus apenas nos dá e dá... e dá mais ainda são muito mais atraentes do que aquelas nas quais esse “dar” de Deus vem seguido de uma coisa essencial: amar a Deus acima de QUALQUER coisa.


Voltando ao assunto, os jovens estão nas igrejas levando vidas superficiais e, muitas vezes, vazias repletas de falsos significados. Estão deixando os desígnios mundanos invadir suas vidas e suas mentes dia após dia e, infelizmente, muitas vezes não são alertados disso. A prudência não é mais uma das principais virtudes na vida dos jovens, sejam eles cristãos ou não.


O que está acontecendo? Realmente, não sei. Mas sei que isso não é o melhor caminho a ser seguido, pois Jesus é o único caminho. E se Jesus não tem sido o centro, o alvo principal, você, com certeza, não está indo pelo caminho correto. Pode ser que lá na frente, depois de passar pelas pedras, pelos espinhos, pelos buracos, pelas armadilhas, pelas trancas nas portas, pelos muros que terá de pular e por muito mais que o caminho que não é de Deus te levará, você encontre a verdade e a verdade vá te libertar. Porém, pode ser que no meio dessa caminhada aparentemente feliz e cheia de prazeres, você encontre a morte e Deus não poderá fazer mais nada por você.


A Palavra de Deus nos alerta no livro de Provérbios: A sabedoria do prudente é entender o seu caminho, mas a estultícia dos insensatos é engano. (Provérbios 14.8). Os sinais estão muito claros e a volta de Jesus é iminente. É bom se lembrar que ele não fará avisos da sua volta, nem dará tempo de você repensar seu caminho enquanto ele estiver descendo dos céus para buscar seus filhos.


Ore e entenda que o que Deus quer para seus filhos é o que há de melhor. Se é “crente” e precisa sair e curtir para se sentir “completo”, ou acha que precisa disso, pois sente a falta de algo em sua vida, provavelmente tudo isso que te falta e que as saídas semanais não conseguem suprir seja suprido por uma única atitude: aceitar Jesus realmente em sua vida.


Pense nisso e seja prudente!


Breno Amaral

terça-feira, 5 de maio de 2009

Clique na imagem para ampliar

CANSANÇÃO E OS MORCEGOS



Quando escrevo sobre cansanção não me refiro ao município brasileiro situado no estado da Bahia cuja população é de 33.008 habitantes.

Falo daqueles vegetais de efeito urticantes, espinhosos, tão presentes como praga em nossa flora.Cansanção está para os morcegos assim como os morcegos estão para a nossa zeladora quanto as suas inconveniências.

Pois bem: Alguns morcegos alojaram-se numa das salas interiores de nosso templo produzindo uma sujeira orgânica e um mau cheiro insuportável.

A cultura popular nos informou que morcegos são banidos ante a presença do cansanção; basta pendurar alguns galhos no recinto que os morcegos batem em retirada. Aflorou assim a nossa esperança em expulsar estes intrusos. Dito e feito! Joel e eu, fomos ao campo, munidos de uma boa ferramenta, entramos mato à dentro e nos demos à colheita. Andei me espetando mais cumpri o mister desta tentativa. Outro amigo tem uma grande escada e disposição para nos ajudar; ele subiu e amarrou os galhos espinhosos nos caibros da sala imunda. Fantástico foi o resultado! Os morcegos sumiram, não sei qual o destino de seus outros pousos, mas não nos interessa, foi dada a ordem de despejo.

Espinhos...Faz-me lembrar coroa maldita sobre a cabeça do Bendito.

Quando Jesus leva sobre si os nossos pecados, enfermidades e dores fazem-se retratados na coroa de espinhos. Os espinhos são também inconvenientes.

Neste tratado da ação redentiva os espinhos (pecados) que nos eram peculiares, Jesus os tomou sobre si para a nossa libertação e vida.

Os espinhos colocados sobre [...] foi o suficiente para denotar o espanto por completo da sujeira que nos fustigava.

A minha analogia se dá neste tom: O Cansanção equivale à coroa de espinhos. A escada; a cruz. Por cima, nos caibros; a soberania do alto no poder libertador. A saída dos morcegos representa o ato da libertação.

A pergunta que nos leva a reflexão coerente é: Como lidamos com os espinhos? Como (vulgarizam); somos coro grosso? Não nos afligem mais? Acostumamos com o pecado?

A ordem bíblica contida em Romanos 6: 12 e 13 "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça."

Pois bem, a tentativa de se fazer notório em nossas vidas uma aplicação plausível das palavras apostólicas de Paulo aos Romanos 6: 22 e 23 - "Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim a vida eterna; porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor."

Agora, nem morcegos, nem cansanção...

Agora, só graça! Amém!

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Há um lugar - Heloisa Rosa

video

Clique na imagem para ampliar

Apenas “ficantes”?


De repente alguém chega para você e lhe pergunta: “E aí, cê tá namorando?”, ao que você, meio sem graça, responde: “É... bem... Tô e num tô ao mesmo tempo”.

Esta é a típica resposta daquele que está com alguém, mas não sabe definir o tipo de relacionamento que tem: se um namoro sério ou apenas mais um “ficante”.

O ‘ficar’ virou mania na vida de muitos jovens e adolescentes. E o pior é que essa mania chegou até às igrejas evangélicas. É freqüente observar rapazes e moças trocando de ‘ficantes’ com a mesma facilidade de quem escolhe uma roupa na vitrine.

O ‘ficar’ é um relacionamento sem compromisso, inclusive de fidelidade. Hum...! Aí está um dos causadores de decepções e ‘dor de cabeça’ para os ‘ficantes’: a infidelidade. É comum ver jovens chorando as mágoas de um relacionamento no qual não havia certeza de que iria continuar. Quando menos se espera você descobre que o seu ‘ficante’ está ‘ficando’ com outra pessoa. Confuso? Mas, infelizmente, é assim que as coisas acontecem.

Tão chato como descobrir uma infidelidade é descobrir que você está com alguém e esse alguém não decide o quer. Você deseja namorar sério, mas ele(a) fica lhe enrolando, não lhe assume publicamente, gagueja, faz rodeios, e sempre muda de assunto. Sem contar às vezes que ele ou ela dá um ‘chá de sumiço’, não atende ao telefone e quando resolve aparecer, conta uma história (desculpa) qualquer.

“O dossiê da ficada”

Não é de se espantar que, hoje, o ‘ficar’ é visto como algo normal pela maioria dos jovens, quer sejam evangélicos ou não. Por mais ensinamentos que a Igreja possa passar, moças e rapazes insistem neste relacionamento fugaz.

Recentemente a revista Capricho (edição 912) publicou uma matéria sobre o assunto. Por meio dela vê-se o que os jovens pensam a respeito. Capricho entrevistou 300 meninos e meninas de seis cidades brasileiras para participarem do chamado “Dossiê da ficada”.

Segundo a revista 82% acham que, para ficar, é só estar afim, não é preciso estar apaixonado; para 73%, a vontade de beijar é o suficiente para ficar com alguém”; 36% vêem o ficante como uma pessoa que pode virar um namorado; 34% disseram que o ficante é só um passatempo. E pasmem: para 56% dos entrevistados, é normal ficar com quantos der vontade numa mesma noite. Já as meninas de São Paulo (64%), Brasília (40%) e Salvador (32%) acham que a noite é de um cara só.

É mole ou quer mais? São mais de 20 páginas onde os jovens revelam o que está e o que não está liberado neste tipo de relacionamento.

Em setembro de 2002, uma reportagem realizada pela revista Eclésia (edição 81) já alertava para o perigo que rondava os jovens brasileiros, principalmente os evangélicos. Uma pesquisa elaborada entre os anos de 1994 e 2000, pelo Ministério Lar Cristão – um ministério que promove valores cristãos às famílias e aos jovens – e revelada por Eclésia, mostra que 52% dos jovens crentes transam antes do casamento, e a idade média da primeira relação sexual é de 15 anos; 17% das adolescentes acabam engravidando.

Os dados são assustadores, mas, infelizmente, as ‘ficadas’ continuam por aí. A coisa está tão feia e avançada que 64,5% dos entrevistados pela Capricho “acham que, se não for legal para você, a ‘ficada’ pode ser substituída por outra na mesma noite”.

O que dizer em meio a esta enxurrada de ‘rolos’ e onde tudo parece ser “tão normal”? Não se pode proibir aqui, que os jovens continuem a perder tempo com esses relacionamentos confusos e sem compromisso, contudo, pode-se deixar uma palavra especial: se os valores eternos de Deus estiverem fortemente guardados no coração de cada um, com certeza esse jovem terá mais facilidade para rejeitar os prazeres passageiros que o mundo oferece.

Guardei a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti. (Sl 119.11.)

Ana Paula Costa

domingo, 3 de maio de 2009

Em busca do bem-estar no mundo atual...

No meio secular tem crescido de forma surpreendente a busca por práticas que tragam “sentimentos positivos”. Tais práticas fazem com que as pessoas mergulhem em técnicas e ideais que criam certa distância da área espiritual ou as levam para perto de experiências espirituais que podem trazer certo prejuízo em sua relação com Deus e, consequentemente, em suas vidas.


Ao se envolver com outras formas de “conhecimento”, buscando um bem-estar físico, mental e/ou espiritual, muitas pessoas começam a encontrar “valores” aonde eles não existem. Tais valores enganosos podem começar a fazer com que a mente das pessoas se fixe em objetos, aromas, plantas, ritos, e muitas outras coisas que as técnicas esotéricas e de auto-ajuda trazem à população carente (carente espiritualmente, eu digo).


O público mais susceptível a esse tipo de busca, hoje em dia, é o público jovem. Grandemente influenciados por filmes de bruxaria, livros de técnicas de meditação, horóscopo, revistas teen´s que trazem inúmeras simpatias, testes do amor ideal, como se destacar entre os amigos, como ser positivo e otimista, etc, os jovens têm se distanciado da verdade razão de viver, que é a busca pela intimidade com Cristo.


Satanás está tentando destruir vidas por meio de engôdos. As mentiras de satanás estão invadindo as igrejas e chegando a ponto de fazer com que até mesmos os jovens cristãos leiam horóscopos, vejam qual a cor favorável no dia, número da sorte entre outras coisas... Parece absurdo, mas não é!!! São inúmeros “gurús” que surgem dia após dia e revelam ao povo novos caminhos para se atingir a plenitude como seres humanos; um caminho que depende apenas do “seu querer”! Um caminho no qual você é o único responsável. Um caminho no qual você é seu próprio “deus”.


Mas a Palavra do Senhor nos alerta sobre tais pessoas e no livro de Mateus encontramos algumas passagens como:. “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mt 7.15). “E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.” (Mt 24.11). “Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.” (Mt 24.24).


Nossa juventude precisa se atentar ao que é de Deus e o que parece ser de Deus. Esse Deus é quem dá o direcionamento, e não tiras de papel escritas por homens. Esse Deus é quem traz a paz, e não frases soltas em um livro. É esse Deus quem nos dá vida, e não um homem qualquer. E é esse Deus que nos mostra o verdadeiro amor; um amor de forma pura e não com uma fórmula mágica para se apresentar a nós.


Não deixe que o “positivismo” seja maior que o cristianismo em sua vida. Se quer realmente ser positivo e otimista na vida das pessoas, seja um verdadeiro servo e Deus e mostre a única mensagem que pode ser realmente positiva, otimista e, com certeza, real na vida das pessoas: a mensagem da Salvação em CRISTO JESUS!!


Pois o caminho da plenitude é um só, e o próprio Jesus foi quem mencionou isso quando disse: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Jo 14.6).


Seja mais servo cristão e dessa forma você alcançará um nível maior de conquistas (principalmente de almas). É hora de deixar de ser apenas mais um e começar a fazer diferença no meio secular e na Igreja do Senhor.


Breno Amaral

sábado, 2 de maio de 2009


clique na imagem para ampliar

Oficina G3 - Ele se foi

video

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Juventude, mude esta geração!

Evidentemente, outros temas envolviam nossa vida jovem. Namorar aquela garota, o primeiro trabalho, terminar o colegial, criar nosso grupo de amizades e participar das vigílias.

Um dia, aos dezesseis anos aprendi que Deus falava diretamente com as pessoas. Isso mesmo, como um amigo dialogando com outro. Em um culto de pouco mais de 20 pessoas Ele me disse que uma mulher estava com uma ferida no estômago. Não sabia ao certo o que estava acontecendo, mas algo dentro de mim me impulsionou a falar com aquela senhora. Oramos e ela foi curada. Eu era muito, muito jovem! Desde então fui presenteado por uma coleção de situações semelhantes. E até hoje isso faz um sentido imenso para mim.

Olho ao redor e vejo uma multidão de adolescentes. Talvez você que lê essas linhas pode estar se perguntando: Será que posso participar da cura física de alguém? Será que eu, mesmo sendo tão jovem, posso atuar junto com o Espírito Santo na libertação de uma pessoa?

Aprendi, nesse tempo todo, que o poder de Deus vai além de nossa capacidade física, ou da nossa maneira de enxergar uma situação. E aprendi isso muito cedo. Muitas pessoas estão cansadas de tanto sofrimento. O que elas não esperam é que um adolescente se aproxime e diga: “Deus irá curar você agora, estou certo disso”. E a cura acontece.

Participar de milagres não é só para adultos, libertar pessoas de males muito menos. Esses conceitos não estão presentes na mente de Deus. Seus olhos jovens podem ver muito mais do que está a sua frente. Suas mãos podem tocar pessoas e livrá-las de sofrimentos. Aquele amigo seu que está revoltado com a vida, machuca as pessoas próximas e sempre está triste talvez não seja assim porque quer, talvez ele necessita ser curado. Deus também cura o interior. Isso mesmo, traumas antigos, desilusões, medo e agonia.

O seu papel não será de alguém que pedirá exames para confirmar diagnósticos, ou de um profissional que prescreve remédios que podem não aliviar dores. Aquele que precisa de você realiza coisas concretas e instantâneas, seja você da idade que for. Creia nisso: Ele precisa de você. O sobrenatural pode acontecer num piscar de olhos. Mude o seu modo de pensar a respeito desse assunto. Mude a maneira como vive. Faça diferença, mude logo essa geração!

Anderson Rogério de Souza
Membro da Igreja Batista do Tirol – Belo Horizonte